Mercedes GLK 220 CDi – Mecânica mais racional

IMG_9628Com este motor, o GLK fica mais acessível, logo mais racional, pois qualidade é coisa que não falta ao SUV compacto da Mercedes. E além do motor, com belos argumentos na caixa automática e pacote de todo-o-terreno que oferece pneus mistos.

Rival natural do BMW X3 e do mais recente Audi Q5, além do maior Volvo XC60 (já ensaiado pelo CAR BLOG [categorias – ensaios – volvo]), o Mercedes GLK recebeu um motor mais pequeno e capaz de lutar com os adversários em matéria de preço. Mas ao mesmo tempo, a marca de Estugarda não deixou de fazer alguns acertos como a proposta em exclusivo da caixa automática de sete velocidades e o programa BlueEfficiency.

O estilo do GLK é assumidamente cubista com ligeira influência daquilo que a BMW fez com o precursor deste segmento dos SUV compactos, o X3. Ou seja, o GLK tem uma frente comprida, um corpo compacto e uma traseira ampla. As linhas são assumidamente rectas, com uma linha de cintura em cunha e com forte vinco lateral e cavas das rodas musculadas.

Na versão que o CAR BLOG ensaiou, equipada com o “pack Todo-o-Terreno, as jantes de 17 polegadas fazem parecer que há carroçaria a mais. No cômputo geral, o estilo deste SUV Mercedes é bem agradável e, pelo menos, tem o mérito de ser diferente mantendo-se dentro dos cânones habituais da marca alemã. E a estrela lá está bem em destaque na frente…

Interior espaçoso

A altura ao solo não é muito elevada, mas com o “pack todo-o-terreno “ há umas protecções nas embaladeiras que complicam ligeiramente o acesso. Nada de muito complicado. Franqueada a porta, damos com interior tipicamente Mercedes, ou seja, frio mas de grande qualidade, racional e correcto em termos de ergonomia. Apenas três críticas: o volante não está centrado com o condutor, alguns materiais já conheceram melhor qualidade e não se percebe porque razão continua a ser utilizada uma solução de travão de mão… de pé ao invés de uma unidade eléctrica cada vez mais banalizada.

Espaço não falta dentro do GLK e cinco adultos não conhecem grandes dificuldades em encontrar espaço nem mesmo para arrumar as pernas. Os bancos são confortáveis e o condutor tem direito a regulação eléctrica em altura. Há complemento de regulação através de um sistema mecânico que baixa ou sobe a arte de frente do banco consoante o tamanho das pernas do condutor.

Na bagageira também não há razões para queixa, pois o GLK oferece 450 litros e uma chapeleira que corre sobre calhas, o que facilita a sua utilização. O banco traseiro é rebatível em duas partes o que aumenta sobremaneira a capacidade. Pequeno problema reside na altura do acesso, mas nada a fazer pois o GLK é um SUV. O acesso está protegido por uma placa de alumínio que além disso dá bom aspecto aquela zona. Faz parte do “pack todo-o-terreno que juntamente com as jantes de 17 polegadas e pneus mistos custa 1456 euros.

O equipamento é apenas suficiente, pois num carro com este valor poderíamos esperar o sistema de navegação de série. Não há (custa mais de 3 mil euros) mas há faróis de nevoeiro, sensor de luminosidade para os faróis (o de chuva custa 174 euros), computador de bordo, sistema Neck Pro nos encostos de cabeça e o ar condicionado automático.

No lado dos opcionais, este GLK 220 CDi tinha disponível o sistema Pre-Safe, programa que em caso de aleta para embate, aperta os cintos para colar os passageiros aos bancos, caso haja tecto de abrir fecha-o, o mesmo fazendo-o às janelas para melhorar a eficácia dos airbags, além de ter controlo sobre os bancos, mexendo-os de forma a colocá-los em melhor posição para receber o embate. Vale a pena e custa “apenas” 534 euros.

Mecânica eficaz, económica e amiga do ambiente

O bloco de 2.2 itros do GLK já é conhecido de outros modelos da Mercedes, nomeadamente o Classe C. Com 170 CV e um binário de 400 Nm, tem poderio suficiente para mexer com desenvoltura as quase duas toneladas do GLK sem problemas. Aliás isso é bem visível nos 205 km/h de velocidade máxima e nos 8,8 segundos para chegar aos 100 km/h.

A caixa automática é excelente, bem escalonada e é um prazer especialmente quando andamos muito em cidade. A condução não apresenta problemas e em termos de consumos, valores abaixo dos 8 litros são fáceis de alcançar. Já o mesmo não acontece com a média apresentada pela Mercedes de 6,7 litros, verdadeiramente optimista. Também na componente ambiental o GLK não está mal munido, pois 183 gr/km não é um número fantástico mas bom para um carro com quase 2 toneladas. A travagem está num bom nível e a direcção mostra-se correctamente assistida.

Quanto às incursões fora de estrada, o GLK está equipado com pneus mistos que ajudam a transmissão integral a conseguir ir mais longe que um simples passeio em caminhos poeirentos. Mas para ir mais além, terá de ir ao bolso buscar 834 euros para comprar o “pack” tecnológico todo-o-terreno que lhe oferece o controlo de velocidade em descida e superior tracção em pisos escorregadios.

Comportamento tranquilo

Ao contrário do X3 da BMW e do Q5 da Audi, o GLK da Mercedes é um SUV tranquilo que não está pensado para utilizações desportivas. A suspensão é suave e desenhada para conferir conforto, controlando ainda assim muito bem a carroçaria. É evidente que quando o andamento começa a ser demasiado, o GLK alarga a trajectória e a massa começa a criar problemas. Mas acreditem que isso só sucede quando abusamos claramente do Mercedes.

Ou seja, o GLK é um carro confortável, muito seguro e fácil de conduzir. Um Mercedes…

O preço inferior aos 55 mil euros não é nenhuma pechincha e olhando a algumas falhas de equipamento, poderíamos esperar mais. Mas se gosta da marca e deseja ter um SUV, o GLK 220 CDI é uma óptima escolha.

Características técnicas

Motor – 4 cil. 16V; 2148 c.c.; “common rail” c/turbo de geometria variável; Potência (CV/rpm) – 170/3800; Binário (Nm/rpm) – 400/1400; Transmissão – Integral, permanente, caixa automática de 6 vel.; Suspensão (fr./tr.) – Independente, McPherson/Independente, multibraços; Travões (fr./tr.) – Discos vent./Discos; Comp./Larg./Alt. (mm) – 4528/1840/1689; Dist. entre eixos (mm) – 2755; Capacidade da mala (lt) – 450; Peso (kg) – 1845; Velocidade Máxima (km/h) – 205; Acel. 0-100 km/h (s) – 8,8; Consumo médio (l/100 km) – 6,7; Emissões CO2 (gr/km) – 183 (Categoria D); Preço – 54.993 Euros

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: