Mercedes E350 CDI Avantgarde – Provavelmente o melhor do segmento

aberturaA palavra agora é da BMW… A Mercedes já lançou a mais recente evolução do Classe E, o eterno rival do Série 5, excedendo todas as expectativas ao oferecer um carro com estilo arrojado e agressivo do mais belo efeito, equipado com motores competitivos e um comportamento cada vez mais assanhado. Talvez por isso seja, neste momento, o melhor carro do segmento.

Há alguns anos alguém escreveu que “Mercedes… é Mercedes”, os anos passam e essa singela frase é perfeitamente actual. Lembram-se do primeiro Classe E com dupla óptica redonda? Exactamente, o desenhado por Bruno Sacco e que originou grande polémica – o carro não é feio nem bonito… é um Mercedes! – foi revisto, ficando com o mesmo conceito por Peter Pfeiffer em 2002. Mais agradável, porque mais afilado e menos bojudo, o Classe E continuou a dividir opiniões. Chegada a hora de renovar, eis que o Classe E surge, uma vez mais, com dupla óptica, mas agora num registo mais quadrado sob a pena de Gordon Wegener. Aliás, todo o classe E passou a ser uma sucessão de linhas rectas com uma traseira que parece ter sido desenhado por outra pessoa tal a falta de arrojo, olhando, claro está, ao resto do carro.

Pode até parecer que o Classe E não é bonito, mas asseguramos que ao vivo é bem mais interessante e que com o passar do tempo a paixão aumenta bastante. E se olhar bem, verá ali a inspiração no Classe C, um carro que todos concordamos, é bonito.

IMG_9872Interior enorme e de qualidade

Se o exterior do Classe E pode vir a suscitar discussão – tal como os seus antecessores – o interior nem por isso. Continuando a ser sóbrio e não especialmente atraente (mais linhas rectas que se aproximam muito daquilo que é visto no GLK, por exemplo) o habitáculo revela-se espaçoso e, mal seria que assim não fosse, de muita qualidade. Podemos até ficar desiludidos, numa primeira análise, perante a sensação sensaborona que tudo dentro deste E350 CDI transmite. Mas depois de andar uns quilómetros percebemos que tudo é pensado para o conforto do utilizador e o pragmatismo acaba por ser muito bem-vindo.

Inexplicável é a continuidade de um travão de mão… de pé e não uma unidade eléctrica automática. Que caramba, não merece um Classe E um equipamento destes?! Outra coisa: percebemos que a tradição ainda é o que era e que a estrela terá sempre de se manter no topo do capot e que a alavanca do limpa-párabrisas agrupe os indicadores de direcção e o comando dos máximos, mas porque raio é que o cruise control e o limitador de velocidade não estão num botão ao invés da haste que invariavelmente nos leva ao engano?!

Felizmente, tudo o resto está “en su sitio” e o conforto é magistral. Até o pormenor dos apoios de braços na consola central e no forro das portas está pensado para podermos desfrutar de uma viagem de autoestrada sem utilizar mais que dois dedos…

Espaço é coisa que também não falta e por momentos conhecemos alguma indecisão entre ocupar o banco do condutor ou o banco traseiro. A insonorização é excelente e este E350 CDI mostra-se um excelente motivo para aquela viagem ao Norte ou ao Sul que andava para fazer há muito tempo. E até a capacidade da mala é óptima: 540 litros!

E depois temos o completo nível de equipamento… deste modelo ensaiado. É verdade. Bancos dinâmicos com suporte lateral accionado consoante o raio das curvas, sistema de navegação, mãos livres Bluetooth, sistema de som Harmon Kardon Logic 7, acesso mãos-livres, tecto de abrir eléctrico, volante em pele, sensores de luz e chuva e ar condicionado bi-zona automático entre mais algumas coisinhas. Quase tudo opcional que só no interior eleva a factura para lá dos 20 mil euros!

E já agora, lá fora, as jantes que vê (são AMG e monografadas) e todos os apêndices aerodinâmicos que dão um ar ainda mais agressivo e sedutor a este E350 CDI, fazem parte do pack AMG que custa 3.240 euros.

Comportamento cada vez melhor

Antigamente, as marcas alemãs Premium eram conotadas com uma só qualidade: a Mercedes era a marca do conforto e opulência, a BMW a desportiva e radical, a Audi era a assim-assim. Hoje tudo este bem diferente e este E350 CDI é prova disso mesmo.

Levado para a estrada, o E350 CDI continua um primor em termos de conforto e agradabilidade de condução, mas encara com naturalidade uma estrada mais retorcida queixando-se apenas quando já estamos muito para lá daquilo que um Mercedes naturalmente é capaz de fazer. E este até faz, mas o ESP que nunca se desliga na totalidade – que falta de confiança! – acaba por nos cortar o divertimento. A suspensão desportiva que equipava esta unidade nunca nos deixa irritados com a sua dureza. Um compromisso muito bom que a marca alemã conseguiu encontrar. Em relação ao anterior modelo, o E350 CDI possui uma direcção agora mais directa e sensível que comunica com o condutor, o que conjugado com um chassis mais rígido e suspensões melhores, elevou e de que maneira os limites do comportamento. A travagem é imaculada, sem fadiga e apenas um bocadinho justa quando decidimos esquecer os quase 5 metros de comprimento e os quase 1900 quilos de peso e elevamos o ritmo.

Mecânica excelente

O motor V6 de 3 litros deste E350 CDI não é dos mais potentes da classe, mas será, certamente, dos mais lineares e agradáveis em termos de utilização. Potência (231 CV) e binário (540 Nm) estão sempre prontos a ajudar o condutor, desde que o regime não desça abaixo das 1500 rpm. Nessa altura é a brilhante caixa automática 7G-Tronic que faz milagres, empurrando o E350 CDi para diante com vigor e quase sem se dar pelo poço que existe abaixo daquele limite de rotação. E acreditem que apesar do peso, o E350 CDI anda muito depressa graças à caixa e à qualidade do motor. É um Mercedes!

Felizmente já começam a ser cada vez mais os que têm capacidade para ter acesso a um E350 CDi – embora saibamos que não será esta a versão mais vendida pois existe um E250 CDI com motor de 4 cilindros – mas, infelizmente, ainda somos muitos os que não conseguem lá chegar. De base o E350 CDi custa 73.756,30 euros, valor ao qual terá de juntar logo à cabeça 3.240 euros do pack Avangarde (há pack mais barato) e mais 1.044 euros da pintura metalizada. Depois? È um mundo! A unidade que ensaiámos, tinha quase 30 mil euros de extras mandando o preço bem para lá dos 100 mil euros. É muito, mas para quem pode, o Mercedes E350 CDi justifica cada cêntimo gasto. Afinal… Mercedes é Mercedes!

Características técnicas

Motor – V6 24V; 2987 c.c.; “common rail” c/turbo de geometria variável e intercooler; Potência (CV/rpm) – 231/3800; Binário (Nm/rpm) – 540/1600-3800; Transmissão – Traseira, caixa automática 7G-Tronic de 7 vel.; Suspensão (fr./tr.) – Independente, McPherson/Independente, multibraços; Travões (fr./tr.) – Discos vent./Discos; Comp./Larg./Alt. (mm) – 4868/1854/1465; Dist. entre eixos (mm) – 2874; Capacidade da mala (lt) – 540; Peso (kg) – 1825; Velocidade Máxima (km/h) – 248; Acel. 0-100 km/h (s) – 6,8; Consumo médio (l/100 km) – 7,1; Emissões CO2 (gr/km) – 186 (Categoria C); Preço – 73.746 Euros

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: