Volvo XC60 2.4D Drive Momentum – Beleza económica e ecológica

O Volvo XC60 é um SUV muito bonito que nesta versão Drive mais ecológica, perde a tracção integral, reduz consumos e emissões poluentes mas, principalmente, é oferecido a um preço muito mais interessante que fica na barreira dos 45 mil euros.

Imaculado na cor da moda, este XC60 pareceu-nos ainda mais atraente que o habitual. Este Volvo é imponente – embora mais pequeno que o XC90, parece… enorme! – e parecia-nos estranho que conseguisse consumos abaixo dos 10 litros. Depois de algum pára-arranca no meio de Lisboa e um percurso rapidinho via autoestrada/CREL até casa, debruçamo-nos sobre a ficha técnica e confirmamos várias coisas. Primeiro que este SUV deixa de o ser na sua plenitude pois prescinde da tracção integral. Pode parecer estranho, mas digam lá: iriam comprar este carro apenas porque tem tracção integral? Claro que não! Por isso mesmo a tracção dianteira é mais que suficiente e o XC60 ganha bastante com este opção. Mas já lá iremos.

Depois vimos que o motor do XC60 Drive é o cinco cilindros de 2.4 litros com apenas um turbocompressor, mas numa versão “descafeinada” que perde 10 CV para o XC 60 2.4D AWD, ou seja, debita 175 CV. Ou seja, já tinha menos tracção e menos potência.

Quando chegamos à parte das características técnicas e reparámos nos valores de consumos e de emissões, ficámos boquiabertos. A Volvo anuncia 6 litros de consumo médio e emissões de CO2 de 159 gr/km. Ficámos a pensar que se tinham enganado no carro, pois este XC60 branco andava muito bem. Algo estava mal, pensamos com os nossos botões.

Mais eficaz

Num primeiro momento pensamos que fosse impressão nossa, mas depois de confirmar com o cronómetro ficámos esclarecidos. Graças à ausência da tracção integral, ao remodelado motor (agora com menos peso e muito menos atrito) e ao menor peso, este XC60 é mais lesto nas acelerações que o XC60 com motor de 185 CV, acabando por ser mesmo mais agradável de conduzir, pese embora as naturais perdas de aderência do eixo dianteiro.

Refira-se que o motor está bastante alterado, recebendo além de tratamento para reduzir as fricções, injectores piezo eléctricos com maior pressão de injecção e uma taxa de compressão mais reduzida.

Todas estas alterações não reduziram o prazer de condução, antes pelo contrário, pois o XC60 continua a ser muito fácil de conduzir e capaz de nos levar para lá dos 200 km/h e chegar aos 100 km/h em menos de 10 segundos.

O que também não foi afectado foi o comportamento, muito bom e que não perde absolutamente nada com a perda da tracção integral. Antes pelo contrário.

Mas o mais extraordinário reside nos consumos. Quem poderia imaginar que sem preocupações de consumo ter ficado aquém dos 8 litros de média? Quem? Mas a verdade é que consegue e por muito que abusássemos, o XC60 não mudava o registo.

Depois é o conforto, a beleza de linhas no interior e o bem-estar a bordo. Por vezes há a tendência para olhar apenas para os modelos da moda e das marcas da moda. Não conhecemos, por culpa da SIVA que nos vedou o acesso a veículos de ensaio, o Audi Q5 mas o BMW X3 conhecemos muito bem e acreditem que este XC60 não se fica atrás.

Finamente, dizer que a travagem é correcta, a direcção medianamente comunicativa e em termos de utilização, apenas o facto da tracção feita às rodas da frente permite que existam algumas falhas de motricidade, mas nada com que não se possa viver.

Ficando abaixo dos 45 mil euros, mesmo nesta versão Momentum (versão intermédia), o XC60 2.4 Drive é um modelo muito atraente pois oferece mais por menos dinheiro. O equipamento é muito completo, estando entre os opcionais alguns “gadgets” que esta unidade tinha montados. Mas mesmo que carregue tudo no XC60, verá que o preço não vai alem dos 50 mil euros. Com uma enorme bagageira (495/1455 litros), um óptimo comportamento e tanta poupança, este Volvo XC60 2.4D Drive Momentum é uma proposta muito interessante e que merece ser vista com outros olhos.

Características técnicas

Motor – 5 cil. 20V; 2400 c.c.; “common rail” c/turbo de geometria variável e intercooler; Potência (CV/rpm) – 175/4000; Binário (Nm/rpm) – 420/1500-2750; Transmissão – Dianteira, caixa manual 6 vel.; Suspensão (fr./tr.) – Independente, McPherson/Independente, multibraços; Travões (fr./tr.) – Discos vent./Discos; Comp./Larg./Alt. (mm) – 4627/1891/1713; Dist. entre eixos (mm) – 2774; Capacidade da mala (lt) – 495/1455; Peso (kg) – 1772; Velocidade Máxima (km/h) – 205; Acel. 0-100 km/h (s) – 9,6; Consumo médio (l/100 km) – 6,0; Emissões CO2 (gr/km) – 159 (Categoria C); Preço – 43.650 Euros

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: